Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tudo passa carago.

E melhor passa se tiver graça.

Tudo passa carago.

E melhor passa se tiver graça.

19.Nov.17

A Minha Mãe

Sérgio Ambrósio

Vi-me na obrigação de escrever sobre a pessoa que me deu à luz. Eu sei que não me deveria meter em assuntos complicados. Mas um filho é assim, complica sempre. É como a minha mãe: nunca me facilita a vida.

 

Se eu faço a minha cama, é certinho que ela vai dizer que está mal feita. Se eu arrumo a cozinha, é certinho que ela vai dizer que está uma trapalhada. Se eu a vou buscar de carro a algum lado, ela vai dizer "excelente".

 

Eu sinto que só vim ao mundo para dar boleia de carro à minha mãe.  Lá está o meu apelido de motorista a funcionar: Ambrósio, como é óbvio. A minha mãe pariu-me só para não andar de autocarro. Uma qualidade sobressai: esperta, naturalmente.

 

A minha mãe tem uma hegemonia parecida com a do Olympiacos no futebol grego: é decacampeã nacional de limpeza. Gasta mais dinheiro em detergentes e sprays para os móveis do que em alimentação. A minha mãe preferia morrer à fome a ter cheiro a mofo na casa.

 

A minha mãe é eléctrica. Depois admira-se de pagar muita electricidade. Eu não me espanto. Um ataque de nervos da minha mãe gera mais energia do que a barragem de Crestuma, num dia. Ela não pára quieta. Seja a trabalhar, a arrumar, a limpar, a regar ou a armar um pé de vento em casa, ela efectivamente não sossega.

 

A minha mãe sabe mais palavrões que todas as claques portuguesas juntas. E faz questão de usá-los para classificar-me. Nós damo-nos bem: eu em casa e ela fora ou vice-versa. Ela chama-se Virgínia. E nunca foi à América. Ainda bem. Senão exercia ainda mais ditadura aqui em casa.

 

A melhor prenda que ela podia receber era um filho de sonho. Azar, não tenho irmãos. A minha mãe faz 56 anos mas eu sinto que eu é que devia ser o parabenizado aqui. Quer pela capacidade de resistência em aturá-la, quer pela proeza de ela nunca me ter ido visitar à prisão. Parabéns, mãe!... Saíste-me cá uma rica prenda… Depois disto só espero é não ser deserdado!

30 comentários

Comentar post

Pág. 1/2