Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tudo passa carago.

E melhor passa se tiver graça.

Tudo passa carago.

E melhor passa se tiver graça.

31.Out.17

Halloween Para Portugueses

Sérgio Ambrósio

Meus amigos, esqueçam a moda americana. Estamos em Portugal. Que tal fazermos um Halloween à nossa maneira, sem estarmos a fazer uma cópia do que se faz lá no país do Trump? Vamos a isso? Mãos-à-obra!

 

Esqueçam a abóbora. Isso não é tradicional de Portugal. Toca a pegar nos nossos ricos enchidos de fumeiro transmontanos. Esculpir aquelas caretas de bruxas nos presuntos, nas chouriças, nas alheiras e nos salpicões era fenómeno para pôr os americanos a lamber a beiça.

 

Nada de vampiros, lobisomens ou zombies. É mascararmo-nos de juiz. Se querem assustar alguém, no Outono de 2017, vistam-se de juiz com uma toga a dizer “século XIX”.

 

Doçura ou travessura? Não. Vamos dar uma nova roupagem ao nosso Pão por Deus e pôr os nossos miúdos a tocar às campainhas dos vizinhos a pedir o “Pão por Éder”, juntamente com a rima «Ouvimos passos no soalho/ o dono deve ser francês/ é quase feriado, caralho/ e o Éder vai fodê-los outra vez».

 

É proibido ouvir histórias assustadoras entre amigos. Neste dia, é pegarem nos CD’s do rapper Halloween, volume no máximo e deixarem os vossos amigos e vizinhos arrepiados com as narrativas aterradoras sobre o crime nos subúrbios de Lisboa.

 

Aproveitemos os dotes artísticos das nossas maquilhadoras e maquilhadores portugueses para darmos um toque exótico ao nosso Halloween com pinturas faciais a imitar a nossa múmia favorita: Aníbal Cavaco Silva.

 

Os mais corajosos podem também visitar sítios assombrados como as antigas instalações do BES, BPN, assim como o Parlamento português. Ressalva para não levarem carteira com dinheiro para nenhum desses lugares. Há lá fantasmas que vos podem gamar à grande.

 

Era giro acendermos uma velinha em honra do defunto poder de adivinhação que sai das mentes das nossas bruxinhas preferidas: a tia Maya e Maria Helena das cartas.

 

Por fim, acender fogueiras. Esperem, é melhor não! Fizemos isso o Verão todo, em Portugal, e correu mal. Pronto, não acendam fogueiras, não façam queimadas, nem usem pirotecnia, a não ser que estejam num estádio de futebol. Aí não há perigo. No futebol, estamos todos habituados a brincar com o fogo.

 

Então, acham que este Halloween tipicamente português seria mais ou menos divertido que o americano? Quero saber as vossas opiniões e a maneira como festejam (ou não) o Halloween. Divirtam-se!

14 comentários

Comentar post