Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tudo passa carago.

E melhor passa se tiver graça.

Tudo passa carago.

E melhor passa se tiver graça.

15.Fev.18

O Pior Dia dos Namorados de Sempre

Sérgio Ambrósio

Aperaltei-me com a minha melhor roupa. Cheguei ao nosso sítio especial e a chuva teimava em chatear-me enquanto esperava pelo meu amor. Ainda aguardei cerca de 40 minutos. O coração batia ansioso. Notei que mais casais chegavam naquele lugar para festejarem o seu dia também. Chegou a hora, o meu amor entrou no relvado e eu fiquei encantado como se fosse a primeira vez.

 

Não tocaram violinos. Preferimos o hino da Champions League. Como é bonita a música. Dá arrepios, emociona. O meu amor estava feliz em ver-me. Eu também estava radiante com a sua companhia. Mas eis que um incidente acontece: damos de caras com uma ex-paixoneta minha. Inglesa, de Liverpool.

 

Já tinha sido há vários anos essa paixão, que eu nem lembrava mais. Só lembrei pela sua presença na cidade do Porto. Foi algo fugaz, que remontou ao final dos anos 1990, quando pairavam pela urbe de Liverpool nomes como Stan Collymore, Robbie Fowler, McManaman e Michael Owen. Mas foi tipo uma paixão de Verão, foi sol de pouca dura.

 

Porém, foi o quanto baste para que ontem a noite ficasse estragada. Foi o meu pior dia dos namorados de sempre. Acoçada por ciúmes e pela minha fidelidade ao meu único amor, a senhora de Liverpool entornou um copo de vinho na roupa do meu amor. Era apenas uma mancha pequena, não pensei que fosse o início de um pesadelo.

 

Depois, com os seus botins de agulha, pisou, de propósito, o meu amor, que soltou um grito de dor… E eu incrédulo! Cuidei que fosse ficar por ali. O ambiente já estava ruim. Mas não chegou. Mulher enciumada é pior do que o diabo. Furou um pneu do carro do meu amor. Esta inglesa estava do piorio. E eu sem capacidade para a impedir de fazer mais loucuras.

 

Não conseguia disfarçar a minha tristeza, nem a minha dor. O meu amor também dava sinais de desespero. A senhora de Liverpool não parava de causar transtorno. Sem decoro, puxou os cabelos ao meu amor. Não, não podia ser. Eu não queria acreditar. A gota de água foi dizer ao meu amor que eu era infiel, que lata! Que idiotice! O meu amor ficou destroçado. Cinco actos daquela inglesa maldita, cinco actos tão maldosos…

 

Mas o que a senhora de Liverpool pensava era que nos iríamos separar. Que o meu amor corresse para longe sem mim ou que eu fugisse de vergonha. Causou dor, sim, mas o amor impera. O amor não é uma linha recta, são altos e baixos. O meu amor sabe que estou lá nas horas felizes, mas que estou ainda mais nas horas más.

 

A inglesa foi feliz embora, rindo da nossa desgraça. Mas eu e o meu amor olhamo-nos nos olhos e abraçamo-nos. O meu amor sabe que sou fiel. A noite foi péssima mas o amor não é uma noite, é uma vida. Por isso, é que o nosso amor há-de continuar a ser lindo, escrito em páginas de ouro sobre azul.

Dia dos Namorados Porto x Liverpool.jpg

76 comentários

Comentar post

Pág. 1/4