Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tudo passa carago.

E melhor passa se tiver graça.

Tudo passa carago.

E melhor passa se tiver graça.

16.Jan.18

Como Ser YouTuber

Sérgio Ambrósio
Jovem, ser YouTuber é o que mais queres na vida? Eu vou explicar-te, à balda, como podes ser um YouTuber de sucesso. Daqueles YouTubers tão famosos que vão chatear o Nuno Markl e a Ana Galvão até à eternidade.   Pais, se vocês têm um filho, esqueçam. Ele já não é vosso. Ele pertence ao YouTuber por quem ele se perdeu de amores. Não adianta comprarem o que ele mais vos pede. Um YouTuber sabe sempre como magnetizar a fidelidade das vossas crias.   O filho do Nuno Markl, por (...)
05.Jan.18

Caminho Para a Felicidade

Sérgio Ambrósio
Ser feliz, para mim, é eu não sentir-me um cliché, o que é impossível. A minha felicidade, de longe, não vem de dentro. As entranhas da minha alma são carregadas de escuridão e de pesadelo. A minha felicidade vem do que me inspira e me faz levantar da cama a cada manhã. Se eu estivesse à espera de encontrar a felicidade dentro de mim, nunca mais tirava o pijama do corpo nem tirava o lombo do colchão.   E não me digam que eu sou a única pessoa que pode atrapalhar a minha (...)
02.Jan.18

Porta dos Fundos

Sérgio Ambrósio
Eu queria que a minha vida fosse como a Porta dos Fundos. Um conjunto de sketches (ou esquetes) engraçados onde as pessoas se riem, passam os créditos e depois ainda há um miminho de bónus. Mas a minha vida é mais um canal de YouTube português manhoso. Daqueles que podia ir parar perfeitamente ao Azeitugal. Mas, pelo menos, viralizava que a minha vida actual nem isso faz. Só viraliza uma constipação, uma gastrite e uns fungos nas encravadas unhas dos pés. Mais nada. Eu queria (...)
29.Dez.17

O Tempo Nunca Está Em Saldos

Sérgio Ambrósio
O shopping é o facebook da vida real. Hoje fiz “iniciar sessão” no shopping. Tinha 87 notificações com convites para gostar de lojas de telemóveis, perfumes, roupa, sapatilhas, entre outras.   3 pedidos de amizade: um da Tânia da Worten, outro do Filipe da padaria do Continente e um da Margarida da Springfield que gamou os meus dados quando preenchi o formulário para o cartão de adesão. Mas cheira-me que não queriam a minha amizade, apenas o meu dinheiro.   Tinha 3 (...)
26.Dez.17

Matar Saudades

Sérgio Ambrósio
Sabe tão bem quando pegamos numa metralhadora e fuzilamos as saudades, não sabe? Porém, isto soa muito mal. Faz-nos parecer o Pablo Escobar que lidera um cartel de emoções e executa inimigos que são apelidados de saudades.   Eu não me deveria sentir um assassino que tem prazer em pegar numa catrefada de saudades, executá-las e metê-las numa vala comum. Mas que prazer é este em matar saudades?   Nunca pensei que um abraço, um beijo, fossem armas tão poderosas. Mas parece que (...)
20.Dez.17

Fim

Sérgio Ambrósio
A tua boca irresponsável. Desarrumaste-me o coração. Abriste-me a gaveta de todas as tristezas. As minhas palavras perdidas nos flancos da solidão. A água a dançar nos meus olhos.   O brilho do cruel triunfo da tua vontade. O vapor do cruel adiamento do teu sexo e das tuas coxas, apesar de eu saber que palmilhei a paisagem íntima do teu corpo só por te amar.   Na estiola dos meus arrepios, fica a cicatriz do teu cheiro devorando-me. As hastes da nossa luz quebraram. Acabamos de (...)
19.Dez.17

Tu Não Tens Nome

Sérgio Ambrósio
Acode-me a trepidação da imaginação para me equilibrar. É através da imaginação que eu salvo o mundo. Todo o mal da vida contrai-se de susto pelo músculo do sonho.   A sensualidade de vaguear no impossível. Cada sonho deixa uma espuma na alma. Tornar real o sonho da noite passada é a contínua sina da minha vida.   Mas amo mais o cheiro da tinta da caneta que as letras que desenho. Amo mais o brilho da folha que as palavras que a preenchem. A minha escrita é nada. O estrondo (...)
18.Dez.17

Guardião da Invicta

Sérgio Ambrósio
Antiga, mui nobre, sempre leal e Invicta cidade. Amar o Porto é fácil. Um olhar espontâneo sobre cada traço arquitectónico é suficiente para nos envolvermos no magma de afectos que as superfícies graníticas deixam aqui transparecer.   Cada rua, cada edifício, cada jardim, cada monumento, é um fragmento que impele a procurar o fragmento seguinte para obter a continuação de um amor infinito. O Douro é a lágrima que escorre ininterruptamente pela face da cidade. Derrama um puro (...)
12.Dez.17

A Morte Vai Ao Psicólogo

Sérgio Ambrósio
MORTE: Estou muito triste, Doutor. Sacrifico-me a trabalhar e toda a gente me odeia por causa do meu trabalho. Não estou a conseguir lidar com tanto ódio, principalmente porque estou apenas a desenvolver a minha actividade laboral.   PSICÓLOGO: Se calhar, você poderia mudar comportamentos na forma como executa o seu trabalho. Por exemplo, podia deixar de matar crianças, evitar execuções em massa, vítimas de atentados terroristas... Assim talvez esses seus haters não a odiassem (...)
11.Dez.17

O Melhor de Sempre

Sérgio Ambrósio
Cristiano Ronaldo é o maior português de sempre. Até D. Afonso Henriques, se fosse vivo, concordaria que as façanhas de CR7 são as mais épicas que este país já viu. Conquistar território a mouros não é pêra doce, sublinhe-se. Mas um só indivíduo conquistar o mundo, por cinco vezes, é de deixar qualquer rei rendido e disposto a conceder-lhe a coroa, por mérito.   Ronaldo não joga à bola. Hipnotiza-a para ela fazer o que ele bem entender. Parecendo que não, essa é a (...)