Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tudo passa carago.

E melhor passa se tiver graça.

Tudo passa carago.

E melhor passa se tiver graça.

17.Jan.18

YouTuber nos Destaques e nos Blogs Quentes

Sérgio Ambrósio

destaques youtuber.png

O meu texto "Como Ser YouTuber" esteve nos destaques do SAPO Blogs! Também ferveu nos comentários e teve a felicidade de ir parar nos Blogs Quentes. À equipa do Sapo, o meu sincero obrigado! A todos os leitores que comentam e lêem o meu blog, vocês são os maiores, fico-vos grato p'ra carago! Valeu, pessoal! 

16.Jan.18

Como Ser YouTuber

Sérgio Ambrósio

Jovem, ser YouTuber é o que mais queres na vida? Eu vou explicar-te, à balda, como podes ser um YouTuber de sucesso. Daqueles YouTubers tão famosos que vão chatear o Nuno Markl e a Ana Galvão até à eternidade.

 

Pais, se vocês têm um filho, esqueçam. Ele já não é vosso. Ele pertence ao YouTuber por quem ele se perdeu de amores. Não adianta comprarem o que ele mais vos pede. Um YouTuber sabe sempre como magnetizar a fidelidade das vossas crias.

 

O filho do Nuno Markl, por esta altura, já deve gostar mais do Wuant do que alguma vez gostou dos pais. É injusto, eu sei que sim. Mas os YouTubers são o Messias dos tempos modernos. Não comprassem computadores ou tabletes ou iphones. Desligassem a net. Criassem o vosso filho numa caverna, pais! Agora, aguentem-se à bronca.

 

Queres ser YouTuber, miúdo? Vou dar-te as melhores dicas para seres YouTuber. As 10 melhores dicas de sempre para seres YouTuber, convém acrescentar. Vou parar a enrolação e vou dizer mesmo como podes ser um YouTuber de sucesso e famoso. A sério, é a seguir. Toma atenção.

 

Como ganhar dinheiro com o YouTube? Desculpa, mas isso é para um outro post. Agora é só mesmo para te esclarecer sobre a pergunta: «como ser YouTuber?». Juro-vos que este post não é patrocinado pelo YouTube. As marcas ainda não me pagam para dizer palermices. E logo eu que digo tantas. Que mundo cão este… Agora, só para credibilizar mais um pouco este assunto, cá vão mesmo as dicas infalíveis para quem quer ser YouTuber mas não sabe como.

 

1 - Escolhe falar sobre temas dos quais gostes para seres YouTuber. Se a tua cena preferida é a andropausa dos periquitos, a degustação de gasolina ou a inserção de preservativos pelo nariz, vai em frente! Quanto mais estúpido for o tema mais hipótese de sucesso terás.

 

2 - Não sejas criativo. Copia tudo o que os teus ídolos YouTubers fazem. Até mesmo os guinchos e grunhidos. É um dos principais requisitos rumo à glória.

 

3 - Coloca as ideias no papel antes de gravares o vídeo. Isto é, se não abandonaste a escola antes de aprenderes a raciocinar e a gerar ideias. Se frequentaste a escola só até à fase de saber ler e escrever, segue a dica de cima. Copia. Ter ideias é para otários.

 

4 - Actualiza frequentemente o teu canal com conteúdos. A cena é teres, no mínimo, 3 vídeos por dia a bombar. Tipo, estiveste o dia todo na casa-de-banho devido à diarreia. Não importa. Faz os vídeos na sanita. Assim ficas com um cenário a fazer respondência com o teu conteúdo! Queres melhor?

 

5 – Investe em todas as redes sociais para divulgares o teu canal. Esquece a vida lá fora. O mundo, o teu mundo, são as redes sociais. Esquece o teu corpo. São as redes sociais que tens de alimentar, mais nada. Cuidados com a alimentação é para meninos. YouTubers são deuses, não precisam de se alimentar. Nem sequer têm estômago. Se o tivessem, não faziam o que fazem.

 

6 - Ouve a tua audiência. Principalmente quando eles disserem que és um nabo e que devias parar. Mas como és teimoso, como 99% da população portuguesa, isso vai ser o teu combustível para continuares a chafurdar na lama feito um porco numa suíte de imundice.

 

7 - Sê tu mesmo, confia na tua personalidade. E vais conferir quantos burros é que se identificam contigo e que podiam ser perfeitamente da tua família. Mas a irmandade por Q.I. rasteirinho também é salutar.

 

8 - Escolhe um bom cenário. Se não puderes estar na Casa dos YouTubers, o melhor cenário é numa biblioteca pública. Ao menos aí obrigavam-te a estares calado.

 

9 - Trabalha com o melhor que puderes. Portanto, esquece o teu cérebro, está fora de questão. Limita-te a copiar. E a comprar câmeras e lentes topo de gama. Podes não demonstrar inteligência mas, pelo menos, mostras poder de compra. Ou poder de roubo, conforme a escala social em que te insiras.

 

10 - Não sejas estúpido. O YouTube vai acabar. Para quê te chateares a criar lixo digital? Vai ler um livro, pirralho. Senão chamo a Supernanny da SIC e estás lixado da vida, pá!

12.Jan.18

Quem Nunca?

Sérgio Ambrósio

Carlos Coutinho Vilhena, desculpa o plágio, mas o título tinha mesmo de ser este, ok? Eu nunca roubei nada a ninguém: nem ideias fixes, nem títulos, nem corações. Sou tão falso! Mas quem nunca, não é mesmo?

 

Eu nunca me gabei de trair. E eu já me traí a mim mesmo. A sério, fui tão estúpido. Eu nunca matei nem uma mosca, nem uma barata, nem uma formiga. Tenho o meu cão que faz isso por mim. Sou tão sortudo.

 

Eu nunca cuspi no chão. A minha saliva é que tem uma atracção mórbida em aterrar. Eu nunca menti a ninguém. Nem mesmo daquela vez em que disse que estava muito doente e não estava nada.

 

Eu nunca tive ambições políticas. O Paulo Portas também não e, no entanto, deu no que deu. Eu nunca podia ser eleito para um cargo político porque eu próprio metia-me numa cela da cadeia, antes de roubar os contribuintes. Palerminha, claro…

 

Eu nunca insultei nenhum árbitro de futebol, nem nenhum jogador adversário, nem um adepto da equipa rival. Só lhes lancei indicações sobre o sítio adequado para onde, achava eu, se deveriam dirigir. Se era literalmente para voltarem para o útero da mãe deles, não sei, mas foi o único lugar que me inspiraram, na altura.

 

Eu nunca saí do Porto porque tenho medo de me apaixonar por outros sítios. A simples ideia de meter os cornos à Ponte D. Luís dá-me arrepios na alma. Temo que ela nunca me perdoaria se soubesse que eu andara a palmilhar outras pontes.

 

Eu nunca fui assediado. Por menores de 18 anos. As tipas faziam questão de me mostrar o Cartão de Cidadão, onde eu verificava que eram maiores de idade, para lançarem sobre mim a descrição das experiências sexuais que queriam aplicar no meu corpo.

 

Eu nunca fui apalpado por gajas desconhecidas na rua. Que tivessem ingerido litradas de álcool. Não sei porquê mas as bêbadas nunca engraçaram comigo. As sóbrias estão sempre à espreita de uma oportunidade de me apertarem a chicha.

 

É tentador, mas eu nunca meti nenhum objecto no meu ânus. Mas uma médica já me meteu, a filha da mãe. Deve ter sido por eu sempre ter tido fetiches com enfermeiras e nunca com médicas.

 

Fazendo as contas, eu nunca tinha mentido tanto numa crónica como menti hoje. Paciência. Nunca havia dito que dessa água não beberia.

10.Jan.18

A Presidente Oprah

Sérgio Ambrósio

Temos de dar atenção ao lince ibérico, aos koalas e até às nossas ricas sardinhas que correm o risco de desaparecer. Mas temos que deitar os olhos na América e ajudarmos os nossos queridos amigos das terras do Tio Sam na preservação do político americano, que corre o sério risco de se extinguir.

 

Predadoras estrelas da televisão estão a invadir os terrenos da Casa Branca e estão a deglutir toda a credibilidade e seriedade do povo americano, que tão nosso amigo é oferecendo-nos cinema fabuloso, séries de TV fantásticas, basquetebol fenomenal e música prodigiosa, por exemplo.

 

Um multimilionário famoso, que participou num reality show, é o actual presidente. A seguir querem lá meter uma célebre apresentadora de TV? E ainda dizem que os eleitores portugueses são uns tontos!

 

E se por cá a moda pegasse? Imaginem só Portugal a ser governado pelo José Castelo Branco e termos a Maria Vieira ou a Cristina Ferreira a quererem fazer-lhe oposição governativa. Aí, meus patrícios, finalmente, podíamos dizer, em uníssono: «Isto é mesmo a Casa da Mãe Joana».

 

Eu não queria ser americano, neste momento. Já não bastava o gozo que levaria do mundo inteiro por ter um troglodita como Trump na governação para agora me meterem nos braços uma celebridade como a Oprah Winfrey!

 

E onde fica o Kanye West no meio disto tudo? Já deve estar a chorar baba e ranho por saber que, em 2020, não vai ser eleito presidente dos Estados Unidos, coitado do rapaz.

 

Mas vamos ao ponto essencial: o que é feito dos políticos de verdade dos Estados Unidos? Hum, se calhar, nunca existiram. Ou foram sempre bons actores a disfarçá-lo como o Reagan.

 

Já faltou mais para a Casa Branca se mudar para Hollywood. Mas temos de ver o lado positivo da vida. Com Oprah Winfrey como Presidente, a Síria e o Afeganistão deixariam de levar com bombas e passariam a levar com o Dr. Phil e o Dr. Oz. Sempre aleija menos. Digo eu.

09.Jan.18

Coolest Monkey In The Jungle

Sérgio Ambrósio

coolest monkey in the jungle.jpg

Eu não sabia que a H&M tinha uma secção do Ku Klux Klan mas parece que sim. É que das duas uma: ou a H&M achou que a sociedade, na sua globalidade, é só malta porreira que ia achar imensa graça a este hoodie ou então pensou que milhões de racistas, por esse mundo fora, iam comprar esta peça de roupa, para apoiarem este núcleo racista da H&M, fazendo disto um incrível sucesso de vendas.

 

Já estou a imaginar um azeiteiro típico do Alabama a comprar vários hoodies com o slogan “coolest monkey in the jungle” para ir oferecê-los aos miúdos pretos que encontrar. O que ele não devia estar preparado era para levar com a afirmação: «cool black kids always have a knife», enquanto sangrava do abdómen.

 

Estereótipos à parte, ser o “macaco mais fixe da selva” era realmente uma camisola porreira de se ter se fossem os próprios dos macacos a fazer compras na H&M. Agora como são pessoas que lá fazem compras, acho que nenhuma iria querer adquirir algum hoodie com esse slogan para vestir aos filhos. Até porque no dia a seguir, na escola, o miúdo que levasse essa camisola ia levar porrada de toda a gente: dos amiguinhos pretos que iriam achar a roupa ofensiva e dos miúdos racistas que iam achar a camisola uma desfaçatez e um atrevimento.

 

A H&M já pediu desculpas a todas as pessoas que se ofenderam com esta situação. Não sei o que farão às camisolas. Vão entregá-las nos zoos? Vão entregá-las nas selvas aos próprios dos macacos? E não será discriminação dizer que os macacos que vestem aquela camisola são mais fixes que os outros macacos que não têm a porra da camisola?

 

Isto dá que pensar, meus amigos. Já estou a ver que os maiores gangs da América vão deixar de combater entre si e vão escolher a H&M como inimigo número um. Vamos ver montras das lojas todas furadas de rajadas de metralhadoras. Vamos ver lojas vazias, já que nunca mais ninguém fará compras nesta cadeia de fast fashion. A H&M estará ao lado da Síria e do Iraque na lista dos destinos a serem evitados a todo o custo.

 

A única hipótese que a H&M tem de evitar a falência é cativando o segmento racista e xenófobo da população mundial para lá deixar o seu dinheiro em troca de roupa de qualidade fraca e gosto duvidoso. Já estou a ver Trump a ser o próximo rosto publicitário da H&M, por todo o mundo, com o slogan: “coolest racist in the world”. Era uma tragédia de vendas, não acham?

08.Jan.18

SAPO & Cantada

Sérgio Ambrósio

portas dos fundos sapo.png

Caríssimos, ficam a faltar palavras... A equipa do SAPO Blogs colocou em evidência o meu texto "Porta dos Fundos" e está a desafiar a malta para partilhar o seu vídeo preferido do colectivo humorístico. Grato pela atenção! Quanto ao meu vídeo favorito da Porta dos Fundos, fica muito difícil escolher um só. Mas vou optar por partilhar "Cantada". Participem, sigam o repto da equipa do SAPO Blogs e divulguem a vossa preferência. Valeu!

05.Jan.18

Caminho Para a Felicidade

Sérgio Ambrósio

Ser feliz, para mim, é eu não sentir-me um cliché, o que é impossível. A minha felicidade, de longe, não vem de dentro. As entranhas da minha alma são carregadas de escuridão e de pesadelo. A minha felicidade vem do que me inspira e me faz levantar da cama a cada manhã. Se eu estivesse à espera de encontrar a felicidade dentro de mim, nunca mais tirava o pijama do corpo nem tirava o lombo do colchão.

 

E não me digam que eu sou a única pessoa que pode atrapalhar a minha felicidade. Se o António Costa aumenta os impostos isso vai atrapalhar a minha felicidade. Como impedir o António Costa de perturbar a minha felicidade? Vamos eleger o Rui Rio ou Santana Lopes para governar (esta é para rir feito tolinho mesmo!).

 

Eu sozinho jamais conseguiria fazer-me feliz. São preciso dois para dançar o tango. E é melhor ter sexo do que fazer amor comigo próprio, como diria Woody Allen referindo-se à masturbação.

 

Podia ser feliz se fosse honesto comigo mesmo. Mas a minha mente não é de confiança e então tenho de lhe contar tudo ao contrário. Por isso, é que penso uma coisa e faço outra.

 

«Ah, e tal a tua vida podia ser pior, podias ter nascido em África e passar fome». É verdade. Mas também podia ser melhor se eu roubasse tantos milhões como o Ricardo Salgado e a justiça não me prendesse, ora.

 

Eu sorrio para a vida mas a vida só me dá estalos porque agora está na moda o assédio. Eu juro que não quero fornicar a vida, quero sorrir-lhe inocente e genuinamente, mas ela parece que vê malícia em tudo. E, pimba, eu é que pago.

 

A chave da felicidade está em criar-se o futuro. Já agendei uma reunião com o destino para tratarmos desse processo. Fora de tangas, a felicidade dá medo. Porque para entrar no Paraíso é preciso morrer primeiro. Até me arrepiei, fónix.

 

É muito difícil eu ser feliz porque não tenho o correcto equilíbrio emocional. A minha mente parece uma montanha-russa e eu nunca estive em Moscovo, sequer. E duvido que lá me envolvesse na meditação porque toda a minha atenção se iria focar nas belas das moscovitas.

 

Eu nunca sei escolher os pensamentos certos para ser feliz. A indecisão sempre foi presença assídua na minha vida. Se escolho os bons pensamentos, fico com pena de deixar os pensamentos maus sozinhos e abandonados.

 

Quando estou sozinho, sou feliz a contemplar pessoas que são profissionais da felicidade. Por isso é que eu gosto muito do Pornhub.

 

Em resumo, elenco aleatoriamente o que me faz feliz: cantar bem alto, no estádio, em comunhão com os meus irmãos de clube; ver a minha família com saúde; brincar com o meu cão Jardel; a ficção (séries, filmes, literatura); a música e a arte; um abraço apertado; um beijo sentido; ter e fazer amor; conhecer pessoas inspiradoras; dar presentes; ter uma conversa divertida; aprender; pingar de suor depois do exercício físico; a luz e o calor do sol… Chega ou já estou a provocar-vos vómitos com tanta felicidade?

04.Jan.18

Obrigado Derby Alfacinha

Sérgio Ambrósio

derby benfica sporting.jpg

Ontem admirei-me de não ser feriado nacional. Era o Benfica – Sporting. Dizem que o país pára, não se fala em mais nada na TV, nas capas dos jornais é só águias e leões, é o derby de Lisboa, é o jogo dos jogos, o clássico dos clássicos, não há nada mais importante, é o evento do ano. Parece que deu empate.

 

Porque eu não vi. Tenho uma regra bastante rígida comigo: não vejo jogos entre equipas que não ganham nada na Europa há mais de 50 anos. Quando as circunstâncias se alterarem, por favor, mandem-me e-mail a avisar, para eu voltar a ver jogos entre os colossos da 2.ª Circular.

 

Agradeço o empate no derby alfacinha, visto que o Porto ganhou, em Santa Maria da Feira, contra tudo e contra tolos. Assim, somos líderes isolados, graças à nossa vitória e à partilha de pontos entre os vizinhos de Carnide e do Lumiar.

 

Mas o que me apraz registar é que compensa mesmo é ser-se árbitro em Portugal: pode roubar à vontade, em frente a milhares de pessoas, nas barbas da polícia, que não há autoridade alguma que o meta atrás das grades.

 

Apesar do pecado, tenho que agradecer aos árbitros. Obrigado por nos roubarem, é só mais motivos que nos dão, a nós portistas, para nos unirmos. E vamos todos juntos e misturados até ao fim. Podem odiar-nos mas como disse o Brahimi repetidamente ao Fábio Veríssimo: «nós vamos ganhar».

 

Se não for este ano, será na época em que árbitros estrangeiros comecem a apitar na Liga Portuguesa, devido à incompetência, má-fé, falta de decoro e clubite aguda dos apitadeiros nacionais. 

união benfica sporting.jpg

02.Jan.18

Porta dos Fundos

Sérgio Ambrósio

porta dos fundos.png

Eu queria que a minha vida fosse como a Porta dos Fundos. Um conjunto de sketches (ou esquetes) engraçados onde as pessoas se riem, passam os créditos e depois ainda há um miminho de bónus.

 

Mas a minha vida é mais um canal de YouTube português manhoso. Daqueles que podia ir parar perfeitamente ao Azeitugal. Mas, pelo menos, viralizava que a minha vida actual nem isso faz.

 

Só viraliza uma constipação, uma gastrite e uns fungos nas encravadas unhas dos pés. Mais nada.

 

Eu queria ser o Fábio Porchat para ter a graça dele. Eu queria ser o Gregório Duvivier porque ele só pega mulheres lindas. Eu queria ser o João Vicente de Castro porque ele é bom actor para caramba. Eu queria ser o Rafael Portugal porque ele é engraçado para cacete. Ou o António Tabet que escreve bem demais.

 

Eu queria que a minha vida fosse comédia, humor, ironia, sarcasmo e diversão. Mas isso não é vida, é sonho. Vida é o choro, as emoções, as tristezas, as decepções, as falhas, os erros, o ridículo.

 

Então eu pego nesses despojos da existência e transformo-os numa ficção engraçada. Porque a vida é para ser vivida. E eu não tenho medo de sair da vida pela porta dos fundos, não.

 

Porque mesmo que eu saia pela porta dos fundos, eu sairei de coração cheio, de consciência tranquila e com a certeza que me transformei, por ironia de mim mesmo, na pessoa que sempre quis ser.

Pág. 2/2