Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tudo passa carago.

E melhor passa se tiver graça.

Tudo passa carago.

E melhor passa se tiver graça.

19.Nov.18

Solene Irritação

Sérgio Ambrósio

Irra para as moscas. Eu julgo que até o IRA – Intervenção e Resgate Animal – deve ter asco às moscas. Devem salvar e interessar-se por todos os animais e mais alguns mas moscas népia.

 

Quando inventaram o mundo gostava de perceber para que criaram as moscas. Bicho mais irritante, badalhoco e chato não conheço. Pior do que moscas só aquelas pessoas que dizem que queriam ser uma mosca para ouvir as conversas alheias.

 

O gajo que criou as moscas (Deus, foste Tu?) só fê-lo para nos atazanar a vida. As abelhas, sim senhor, são necessárias. Agora moscas? A não ser para gravitarem à volta de políticos corruptos e de servirem de alimento a répteis, eu não sei para que inventaram as moscas.

 

Não há explicação lógica. A que me ocorre mais frequentemente é a seguinte: chatear um gajo, mais nada. Uma mosca a cirandar na minha comida? Já estou chateado. Uma mosca que quer fazer de mim aeroporto e pousar no meu corpo sempre que lhe apetece? Já me estou a passar com os nervos! Uma mosca afogada na minha sopa? Ui, é hora de partir a louça toda!

 

Para chatear um gajo não eram necessárias moscas. Já tínhamos as Finanças, as Testemunhas de Jeová e os operadores de telemarketing. Juntar-lhes  as moscas é mesmo lançar a sentença de que a humanidade é uma bosta. E não é verdade, pois não?

9 comentários

Comentar post