Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tudo passa carago.

E melhor passa se tiver graça.

Tudo passa carago.

E melhor passa se tiver graça.

07.Fev.18

O Meu Jamor

Sérgio Ambrósio
Hoje é dia de Taça de Portugal. Porto e Sporting defrontam-se na 1.ª mão da meia-final, no Estádio do Dragão. Bem sei que será tarefa árdua para o Porto garantir acesso à final do Jamor. Mas como já lá vivi algumas finais, deixo-vos as minhas impressões do que é sentir o Jamor como adepto do FC Porto.   O meu Jamor é azul e branco. O Porto nunca joga sozinho, há um adversário a defrontar, mas os meus olhos daltónicos, por opção, apenas se importam com o azul e branco.  
05.Jan.18

Caminho Para a Felicidade

Sérgio Ambrósio
Ser feliz, para mim, é eu não sentir-me um cliché, o que é impossível. A minha felicidade, de longe, não vem de dentro. As entranhas da minha alma são carregadas de escuridão e de pesadelo. A minha felicidade vem do que me inspira e me faz levantar da cama a cada manhã. Se eu estivesse à espera de encontrar a felicidade dentro de mim, nunca mais tirava o pijama do corpo nem tirava o lombo do colchão.   E não me digam que eu sou a única pessoa que pode atrapalhar a minha (...)
28.Dez.17

O Meu Presidente

Sérgio Ambrósio
Pinto da Costa faz hoje 80 anos. Sozinho tem mais títulos internacionais que todos os clubes portugueses juntos. É muita fruta!   Sempre foi um homem polémico. Principalmente por ganhar mais títulos do que os clubes rivais de Lisboa. Não há invejoso que resista a odiá-lo.   É o presidente com mais títulos no mundo e, de longe, o dirigente com melhor sentido de humor em Portugal. Se não fosse o melhor presidente de clubes do mundo seria um excelente stand up comedian.   P (...)
18.Dez.17

Guardião da Invicta

Sérgio Ambrósio
Antiga, mui nobre, sempre leal e Invicta cidade. Amar o Porto é fácil. Um olhar espontâneo sobre cada traço arquitectónico é suficiente para nos envolvermos no magma de afectos que as superfícies graníticas deixam aqui transparecer.   Cada rua, cada edifício, cada jardim, cada monumento, é um fragmento que impele a procurar o fragmento seguinte para obter a continuação de um amor infinito. O Douro é a lágrima que escorre ininterruptamente pela face da cidade. Derrama um (...)
05.Dez.17

Carta ao Pai Natal

Sérgio Ambrósio
Não tenho filhos nem sobrinhos, mas às vezes ponho-me a imaginar como é que um miúdo, criado por mim ou sob a minha influência, escreveria uma carta ao Pai Natal. Suponho que seria, mais ou menos, assim:   “Boas, Pai Natal.   Este ano, portei-me muito bem. Fiz tudo o que a minha mãe e o meu pai me mandaram, inclusivamente dar uma coça ao menino que gozava com o meu clube. Só me portei mal quando bebi aquela deliciosa garrafa de vinho do Porto, reserva de 2011, que os meus (...)
03.Dez.17

O Verdadeiro Clube da Fruta

Sérgio Ambrósio
A fruta faz muito bem à saúde. É extremamente recomendável que sejam comidas várias peças de fruta durante o dia para se ter uma boa dieta alimentar. Ora, os apelos médicos e o senso comum da fruta ser uma boa fonte de nutrientes, vitaminas e fibras, não convencem os benfiquistas a assumirem que têm uma relação próxima com ela.   Há uma contemporânea tendência de os benfiquistas recusarem fruta como quem rejeita uma bela russa, de olhos claros e cabelos de cor de areia (...)
15.Nov.17

Maria do Carmo

Sérgio Ambrósio
A minha avó paterna acha sempre que eu estive raptado algures e que, por isso, não como há uma semana: "ó Sérgio come, não comeste nada, carago". Isto quando já abocanhei 3 sandes, 2 fatias de bolo e meia tablete de chocolate Milka.   Não sei de onde surge esta fixação das avós com o apetite dos netos. Mas é de uma generosidade e carinho assinaláveis que nos queiram ver bem alimentados. Felizmente, ando no ginásio senão, por esta altura, estava em vias de me candidatar a (...)
25.Out.17

Identidade

Sérgio Ambrósio
O meu amor pelo Porto começou quando decidi parar com as dores da minha mãe, no parto, e vim ver afinal o que era o mundo.   Eu tive uma infância normal. A primeira palavra que eu disse foi «Porto». A primeira frase que eu verbalizei com total sentido foi: até os comemos, carago.   Ao nascer, o meu coração era tão grande que os cardiologistas fizeram-me logo o diagnóstico: sofro de portismo.   Desse modo, o futebol é a minha doença. Ganhar é o meu remédio. A primeira (...)