Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tudo passa carago.

E melhor passa se tiver graça.

Tudo passa carago.

E melhor passa se tiver graça.

21.Fev.18

O Amor É Isto Ou É Outra Coisa Qualquer

Sérgio Ambrósio
Minha gente, o amor é uma ilusão. Se fosse real, já estava taxado pelo Governo, há séculos. Para quê chatearmo-nos a procurá-lo? O amor é fogo que arde sem se ver porque o fumo espesso tapa-nos a visão, já cantava o Paco Bandeira, quando inchava os olhos à esposa.   Regra geral, o amor é uma maçada. O amor vale a pena mas só quando tens uma mulher que faça um bom arroz de marisco. Na verdade, eu não acredito no amor mas, por precaução, ando sempre com o Tinder ligado.  
03.Fev.18

A Minha Lista de Desejos Para Hoje

Sérgio Ambrósio
No topo das prioridades, está uma vitória do FC Porto frente ao Braga. Caso tal não aconteça, a noite será longa pois o bicho vai pegar e fogos serão iniciados nas viaturas dos jogadores. Ninguém nos pode parar rumo ao primeiro lugar.   Desejo ardentemente que o árbitro não prejudique o Porto. Se ocorrer alguma falta de vergonha do juiz, uma invasão de campo não será descabida. E com tanta polícia no estádio, é bom que os agentes prendam os árbitros em flagrante delito.   Que (...)
31.Out.17

Halloween Para Portugueses

Sérgio Ambrósio
Meus amigos, esqueçam a moda americana. Estamos em Portugal. Que tal fazermos um Halloween à nossa maneira, sem estarmos a fazer uma cópia do que se faz lá no país do Trump? Vamos a isso? Mãos-à-obra!   Esqueçam a abóbora. Isso não é tradicional de Portugal. Toca a pegar nos nossos ricos enchidos de fumeiro transmontanos. Esculpir aquelas caretas de bruxas nos presuntos, nas chouriças, nas alheiras e nos salpicões era fenómeno para pôr os americanos a lamber a beiça.   Na (...)
16.Out.17

O Perfil do Incendiário. Ou Terrorista Português

Sérgio Ambrósio
O incendiário é o tipo que não se filia na Al-Qaeda ou no Daesh porque não tem escolaridade para tal. Então pratica terrorismo doméstico, no meio da floresta, com uma caixa de fósforos.   O incendiário, ou melhor, o terrorista português é demasiado cobarde para pertencer a uma organização terrorista porque não tem coragem de se matar a ele próprio numa explosão. Opta, então, pela segurança de pôr fogo, fugir e fascinar-se por provocar somente a desgraça alheia.   O (...)