Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tudo passa carago.

E melhor passa se tiver graça.

Tudo passa carago.

E melhor passa se tiver graça.

08.Mar.18

A Mulher é do Tamanho do Seu Sonho

Sérgio Ambrósio
As mulheres sabem que os homens são burros. Por isso, é que me admira que elas ainda não tenham tomado conta do mundo. As mulheres têm inteligência felina e devem estar a tramar alguma para deitarem mão no destino do planeta. Graças a Deus. Para ontem já era tarde.   Hoje é o Dia Internacional da Mulher. Do que falta fazer de bem na sociedade, na política, no trabalho, há a expectativa de que seja a mulher a estar na dianteira para essa evolução. Todos queremos que o mundo (...)
06.Fev.18

Viver É Uma Coisa Séria

Sérgio Ambrósio
Ou não. Depende do ponto de vista. Quem não vive é um pateta. É sensato ter medo de viver mas é estúpido não aproveitar o que a vida tem de bom. Viver pode ser agradável, pode tornar-nos inteligentes. Vamos morrer a viver, isso é uma garantia.   Viver a vida está na moda. Reduz a tensão, diminui os pensamentos negativos e pessimistas. Porque quando estás preocupado a viver não tens sequer tempo para racionalizar as tuas angústias. O meu sonho é viver a vida como o Larry (...)
26.Jan.18

25 Perguntas Aleatórias

Sérgio Ambrósio
1 – “Sais de Casa sem?” Primeiro, a pessoa que inventou esta frase não concluiu a 4.ª classe. É quase preciso ir para a Universidade para se compreender o que esta frase realmente significa. Segundo, vou arriscar que pressupõe que é algo que eu não deixo em casa. Muito bem, eu não saio de casa sem a minha cabeça. Dá-me jeito tê-la sempre comigo, é verdade. Nem que seja para enfeitar. Não enfeita muito porque sou pouco giro, mas dá sempre uma compostura ao corpo. No dia (...)
02.Jan.18

Porta dos Fundos

Sérgio Ambrósio
Eu queria que a minha vida fosse como a Porta dos Fundos. Um conjunto de sketches (ou esquetes) engraçados onde as pessoas se riem, passam os créditos e depois ainda há um miminho de bónus. Mas a minha vida é mais um canal de YouTube português manhoso. Daqueles que podia ir parar perfeitamente ao Azeitugal. Mas, pelo menos, viralizava que a minha vida actual nem isso faz. Só viraliza uma constipação, uma gastrite e uns fungos nas encravadas unhas dos pés. Mais nada. Eu queria (...)
19.Dez.17

Tu Não Tens Nome

Sérgio Ambrósio
Acode-me a trepidação da imaginação para me equilibrar. É através da imaginação que eu salvo o mundo. Todo o mal da vida contrai-se de susto pelo músculo do sonho.   A sensualidade de vaguear no impossível. Cada sonho deixa uma espuma na alma. Tornar real o sonho da noite passada é a contínua sina da minha vida.   Mas amo mais o cheiro da tinta da caneta que as letras que desenho. Amo mais o brilho da folha que as palavras que a preenchem. A minha escrita é nada. O estrondo (...)
28.Nov.17

Gangues

Sérgio Ambrósio
O meu sonho sempre foi pertencer a um gangue. Mas ainda não sei onde se fazem as inscrições. “Ah, tens que ir à sede ou ao site de um partido político”, disseram-me. Mas isso é muito vago. E, mais relevante que tudo, eu não gosto de usar fato e gravata.   Indumentária à parte, os gangues, em Portugal, vieram para reinar. É a saída profissional que regista taxa de desemprego zero e, consequentemente, aquela que mais dinheiro dá. José Sócrates liderou um gangue e nunca (...)
25.Out.17

Identidade

Sérgio Ambrósio
O meu amor pelo Porto começou quando decidi parar com as dores da minha mãe, no parto, e vim ver afinal o que era o mundo.   Eu tive uma infância normal. A primeira palavra que eu disse foi «Porto». A primeira frase que eu verbalizei com total sentido foi: até os comemos, carago.   Ao nascer, o meu coração era tão grande que os cardiologistas fizeram-me logo o diagnóstico: sofro de portismo.   Desse modo, o futebol é a minha doença. Ganhar é o meu remédio. A primeira vez (...)